Paulistanos pagaram menos para fazer compra do mês

É o que aponta dados da FecomercioSP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo). Os preços no varejo paulistano registraram queda pela primeira vez nos últimos seis meses. Segundo o Índice de Preços no Varejo (IPV) da (FecomercioSP) houve redução de 0,51% em fevereiro frente a janeiro. Dos 21 grupos que compõem a pesquisa, oito registraram variações negativas no mês.

Os preços médios praticados no grupo Supermercados registraram queda de 1,8% em fevereiro, com acumulado negativo de 0,77% em 2012. As quedas mais acentuadas foram em Pescados (-2,89%), Ovos (-3,25%), Tubérculos (-4,41%), Carnes Suínas (-6,47%), Aves (-6,70%), Carnes Bovinas (-7,79%) e Legumes (-9,85%). Dos 29 itens que integram a cesta de Supermercados, 22 acusaram queda no mês. Essa queda é justificada por um realinhamento de preços por ocasião do estabelecimento de condições de safra, que foram pressionados por problemas climáticos no ano passado. Ainda assim, há produtos que registraram aumento em seus preços, por conta de problemas climáticos pontuais nas regiões produtoras. É o caso do Feijão que encerrou fevereiro com alta de 11,65%.

O segmento de Açougues registrou queda de 2,44% nos preços. As quedas foram acentuadas em carnes suínas (-3,01%), carnes bovinas (-2,44%) e aves (-2,27%). Além de menor demanda por carnes nesta época do ano por conta da quaresma (segundo informações do sindicato do setor), o segmento ainda conta com melhores condições de pastagens o que garante um custo menos pressionado para os produtores. De acordo com as informações do setor, o abate de fêmeas tem provocado um aumento de oferta no mercado, corroborando com o recuo nos preços. Também não se pode descartar que o grupo ingressou em um processo de realinhamento de preços, já que no último trimestre de 2011 suas cotações se elevaram.

Já os artigos de Eletrodomésticos acusaram alta de 0,21% em fevereiro. Somente os Produtos da Linha Branca recuaram 0,53%, enquanto Eletroportáteis registraram alta de 1,63% e Utilidades Domésticas elevaram-se em 0,82%. Dado o bom desempenho das vendas no varejo, é bastante provável que os preços tendam a se manter em patamares ligeiramente elevados por conta de um realinhamento de preços, tendo em vista o recuo de 2,62% obtidos no acumulado de 2011. A prorrogação da redução do IPI incidente sobre a linha branca até junho também deve manter os preços destes produtos em patamares comedidos.

 

Fonte: Supermercado modermo (05/04/12)

 

Comentários

comentários

Crescimento Sustentável