2 dicas para precificar mercadorias corretamente

Muitos empreendedores desconhecem a maneira correta de precificar mercadorias, e isso geralmente acontece porque confundem os conceitos de preço e valor. Por sinal, há mais de uma forma de fazer essa precificação: é possível precificar um produto baseado no quanto ele custa para a empresa ou no preço que os concorrentes colocaram para esse produto.

Você sabe qual é a melhor estratégia para o seu negócio? Aprenda mais no nosso post de hoje!

Preço x Valor

Apesar de frequentemente serem confundidos, preço e valor são conceitos diferentes. E para conseguir precificar produtos da melhor maneira, é preciso compreender a diferença entre os dois termos.

O preço é um conceito mais prático. Para calculá-lo, você deve somar o custo que a mercadoria tem para a empresa, os custos operacionais para manipulá-la, os tributos sobre ela e a margem de lucro desejada pela empresa. Fazendo esse esquema de cálculo, fica mais fácil chegar a um preço adequado.

Já o valor é subjetivo, porque ele depende da concepção que o comprador tem do seu produto e do que ele procura no seu negócio. Você pode perceber o valor agregado a uma peça quando pensa, por exemplo, em roupas de marca. Às vezes, as pessoas pagam muito mais por uma roupa apenas porque leva o emblema de uma marca — isso se chama percepção de valor.

Como precificar mercadorias?

Há duas maneiras de dar preço a um produto da maneira certa. O preço do produto pode ser calculado com base no custo que ele tem para a empresa ou com base no preço colocado pelos concorrentes — mas a dica é utilizar as das estratégias.

Definir o preço apena com base nos custos para a empresa pode fazer com essa mercadoria não corresponda aos valores vigentes no mercado, assim provocando prejuízo para o seu negócio.

Também pode ser perigoso precificar apenas com base na concorrência. Fazendo isso sem calcular o custo que o produto tem para a sua empresa, o preço final pode ficar abaixo do custo e também gerar prejuízo.

Com base no custo

Para precificar mercadorias se baseando no custo, é preciso da ajuda da matemática. Some:

  • O custo do produto (no varejo, corresponde ao valor de compra e, nas empresas, é o custo de matéria-prima e insumo);
  • Os gastos variáveis (impostos, comissões, etc.);
  • Os gastos fixos (aluguel etc.);
  • O seu lucro desejado sobre o produto.

Hoje, já existem sites que ajudam a fazer essas operações matemáticas facilmente. Há ainda cursos e treinamentos que permitem entender melhor a precificação. Investir em conhecimento é muito interessante, já que definir o preço dos seus produtos é uma das chaves para o sucesso do seu empreendimento.

Com base no mercado e na concorrência

Se você já calculou o preço de venda do seu produto se baseando no custo que ele tem para a empresa, é hora de comparar o valor obtido com o que vem sendo pedido pela sua concorrência.

Se o seu produto estiver custando menos do que a média da concorrência, você pode optar por manter o preço ou aumentá-lo. A decisão dependerá do seu objetivo: vender mais lucrando menos ou vender menos lucrando mais.

Se o seu preço está acima da média de seus concorrentes, é importante rever gastos. Faça o possível para diminuir os custos de produção e compra, por exemplo, e estude a possibilidade de diminuir o lucro sobre o produto.

Também é possível trabalhar com um preço acima da média do mercado, mas o cliente precisará ver valor nos produtos que ele adquire da sua empresa. Caso essa seja sua decisão, será hora de investir em atendimento de qualidade, entregas eficientes e fidelização dos seus consumidores.

Agora você tem em mãos as melhores dicas para precificar mercadorias da maneira correta e se estabelecer no mercado. Se ainda ficou alguma dúvida, compartilhe com a gente nos comentários!

Comentários

comentários

como precificarEquipe de vendas