Cupom Fiscal e Nota Fiscal: entenda a diferença

É muito comum as pessoas se referirem aos documentos obrigatórios Cupom Fiscal e Nota Fiscal como se fossem a mesma coisa. Isso se dá pela complexidade do sistema tributário do nosso país. Porém, essa dúvida precisa ser sanada o quanto antes, para que você possa saber como usufruir dos seus direitos — tanto como comerciante quanto como consumidor.

Saiba, neste post, quais são as diferenças entre estes dois documentos, bem como as vantagens de emiti-los no seu estabelecimento.

O que é o cupom fiscal?

O cupom fiscal foi criado para registrar vendas no varejo e é emitido por um equipamento chamado de Emissor de Cupom Fiscal (ECF) com o selo de autorização da autoridade competente.

O questionamento quanto à diferenciação se dá porque o cupom fiscal é, na maioria das vezes, chamado pelo cliente comum de nota fiscal.

Nele é possível verificar dados importantes, como:

  • compra ou venda de produtos;
  • descrição das mercadorias;
  • preço dos itens;
  • local, data, hora da transação;
  • valor do pagamento e valor do troco devolvido ao cliente.

O que é a nota fiscal eletrônica (NF-e)?

A NF-e é um documento gerado digitalmente. Ela foi criada com o intuito de:

Após sua emissão, os dados ficam registrados em um central, podendo ser cruzados com outros registros para impedir a sonegação, como no caso das operações interestaduais.

Além disso, você não precisa mais imprimi-las e arquivá-las durante todo o período exigido pela Receita Federal. Basta armazenar os documentos no computador.

NF-e comprova uma série de transações comerciais, como:

  • compra e venda de produtos;
  • tráfego de mercadorias;
  • prestação de serviços;
  • doações a instituições e causas sociais.

Quais as diferenças entre os dois documentos?

Em casos de troca de produtos, existem duas possibilidades diferentes.

Se o pedido foi realizado apresentando um cupom fiscal, o comércio pode escolher se realizará a troca ou devolução do dinheiro. O motivo disso é que esse documento não descreve todos os dados necessários para identificar o cliente. Dessa forma, seria possível fraudá-lo, utilizando um CF referente a outra compra.

Já a Nota Fiscal é um documento íntegro, pois contém os dados pessoais do consumidor. Mediante sua apresentação, o estabelecimento é obrigado por lei a efetuar a troca do produto com defeito. E, por esse motivo, exigi-la no ato da compra é fundamental para garantir seus direitos.

A NF também é utilizada para solicitar um reembolso ou repassar o pagamento de uma compra. Ao contrário do cupom fiscal que pode ser recusado por não possuir dados credíveis o suficiente para o reembolso.

Qual a importância de emitir cada documento?

Caso você opte por não emitir a Nota Fiscal e o Cupom Fiscal, colocará em risco o seu empreendimento. Se o cliente abrir uma reclamação, você pode ser multado por sonegação de impostos.

Confira os benefícios de emitir tais documentos:

  • maior transparência e controle dos negócios;
  • facilidade no cálculo das contas do estabelecimento;
  • possibilidade de o cliente pedir devolução ou reembolso do dinheiro, em caso de erro no preço do produto;
  • combate à sonegação fiscal;
  • identificação da quantia e do tipo de tributo pago na compra realizada.

Com as informações expostas neste post, esperamos que você tenha compreendido a diferença entre o Cupom Fiscal e a Nota Fiscal bem como sua importância. Portanto, não perca tempo e regularize sua empresa com o auxílio de um software de gestão adequado.

O que achou deste artigo? Compartilhe suas experiências como varejista e como consumidor com a gente: deixe um comentário!

Comentários

comentários