O que checar antes de abrir um restaurante

Abrir um restaurante ou lanchonete é o sonho de muitos empreendedores. É um segmento de mercado lucrativo, porém demanda de bastante trabalho e muitos cuidados. Por isso, é um investimento que deve ser muito bem planejado.

Para abrir um restaurante, o empreendedor deve estar ciente que seu papel vai muito além de saber cozinhar. Ele terá que ser, antes de tudo, administrador do negócio: orçamentos, fornecedores, entrega, estoque, e somente aí o atendimento. Por isso, um bom plano de negócios pensado com antecedência é indispensável para que o empreendedor tenha uma visão amplificada dos seus próximos passos.

Veja abaixo 8 itens que você deve checar antes de abrir um restaurante:

 

1 – Público alvo e segmento

O primeiro passo é ter em mente qual será o segmento do seu restaurante, que tipo de comida vai servir: buffet, a la carte, massas, churrasco, etc. Este item deve ser bem analisado, pois a partir dele o empreendedor definirá também o público alvo do seu estabelecimento: trabalhadores do comércio ou empresas localizadas perto do seu restaurante, bancários, estudantes, etc.

Será importante definir também os horários de atendimento, e quais refeições serão servidas. No almoço geralmente são refeições mais leves e rápidas, devido ao pouco tempo do cliente, já no jantar, podem ser servidos pratos e bebidas mais elaboradas, pois o cliente sai de casa com mais tempo.

 

2 – Investimento e local

Com o segmento e público alvo definidos, fica mais fácil mensurar o valor e necessidades de investimento, pois saberá quais equipamentos necessitará, e também o tipo de imóvel que precisará para atender a sua demanda.

É importante que o empreendedor tenha um capital de giro para manter o restaurante funcionando por no mínimo três meses, até que o lucro real comece a aparecer. E que faça projeções do tempo de retorno do investimento.

Quanto ao imóvel, antes de fechar negócio, é importante se certificar se realmente o prédio tem licença para abrigar um restaurante e se atende as necessidades do futuro restaurante: salão amplo, espaço para o estoque, cozinha espaçosa, etc.  É importante que o aluguel seja muito bem negociado, pois ele representa um dos custos mais elevados de um restaurante.

Parece bobagem, mas apostar num profissional que te ajude a otimizar as dimensões do seu imóvel pode representar mais lucro no final do mês, afinal: mais cadeiras, mais rendimentos. E além disso, um local bem planejado, com espaço suficiente para circulação e para se sentar confortavelmente é um ambiente agradável de se permanecer.

 

3 – Documentação – A parte burocrática

É muito importante se informar com antecedência de todas as licenças necessárias para se montar um restaurante: CNPJ, licença dos bombeiros, vigilância sanitária, licença da prefeitura, laudo do INMETRO para balanças (em caso de restaurantes a kilo) e assim por diante. Se informe de todas as exigências necessárias antes mesmo da escolha do imóvel.

 

4 – Cuidados na elaboração do menu

A escolha de um menu inteligente influenciará positivamente (ou não) nas demais áreas do estabelecimento: itens de compra, estoque de produtos, maquinário ou utensílio para preparação de determinado alimento, treinamento específico de pessoal, etc.

Por isso ele deve ser cuidadosamente elaborado e também deve conter tudo o que o restaurante tem para oferecer. É muito desagradável, como cliente, escolher um item e ser informado de que “está em falta”.

Uma opção moderna e prática são os cardápios digitais. Com sistema interativo, permite que você retire produtos em falta, ou inclua novos itens para uma “promoção do dia”, facilitando muito a escolha do prato.

 

5 – Custo dos alimentos

Após a escolha do menu, o dono do restaurante deve estar atento ao custo dos produtos. Nesta fase é importante a negociação com bons fornecedores, para garantir produtos de qualidade e pontualidade na entrega.

Aqui também deve se destacar o custo de cada ingrediente, para que se calcule a margem de lucro que deverá ser aplicada em cada prato.

 

6 – Contratação e treinamento

O bom atendimento deve ser prioridade. Funcionários educados, bem treinados, dispostos a ajudar fazem toda a diferença na hora de fidelizar o cliente. A agilidade no atendimento também é um diferencial, e um software especializado pode ajudar muito nesses casos, pois interliga o pedido com a cozinha, e consequentemente, com o fechamento da conta, sem a possibilidade de eventuais erros ou demora no atendimento.

 

7 – Tecnologia e gestão

Já é possível encontrar hoje no mercado sistemas de gestão que ajudam muito o dono do restaurante nas suas tarefas diárias. O sistema interliga o menu, estoque, pedidos, fechamento da conta, e ainda a otimização das áreas fiscais e tributárias. É uma ótima ferramenta e um diferencial para quem está começando.

O cliente ganha na agilidade do atendimento e menu sempre atualizado, e o empreendedor na administração dos bastidores do restaurante.

 

8 – Divulgação

Aqui também, quem vai ditar as regras será o público alvo escolhido. Ele dirá quais ferramentas serão mais eficazes para “espalhar” sua propaganda.  Público jovem em geral, é muito ligado em redes sociais. Público mais maduro ainda lê revistas e jornais, por exemplo. Se o seu restaurante está localizado ao lado de uma escola, vale uma visita, panfletos e cartazes direcionados para aquele público.

Divulgue o que você serve, qual é seu carro chefe. Existem soluções eficazes e econômicas que podem te ajudar a disseminar o nome do seu empreendimento, basta analisar quais canais irá utilizar.

 

Para abrir um restaurante tem que ter paixão pelo negócio, e é preciso estar atento a todas as áreas para que andem em pleno equilíbrio, independente do segmento que escolher. Se quiser receber informações sobre ferramentas de gestão, assine nossa newsletter e mantenha-se atualizado.


Comentários

comentários