Tributação de produtos: como atribuir os valores corretamente

É comum que o empresário brasileiro tenha dúvidas e se sinta confuso diante da nossa legislação trabalhista, reconhecidamente complexa e de difícil compreensão. No entanto, como empreendedor comprometido em fazer seu negócio prosperar, é preciso que você supere essas dificuldades e entenda o importante papel que uma tributação de produtos correta desempenha dentro da sua empresa.

Se você tem dúvidas em relação aos impostos que incidem sobre seus produtos, fique tranquilo! Ao final deste material, você estará bem mais seguro para precificar suas mercadorias e estar em paz com o fisco.

A importância de compreender a tributação

Muitas vezes, a rotina do empresário brasileiro é repleta de compromissos e crises que precisam ser solucionadas com urgência máxima. É por isso que as empresas acabam deixando a tributação de produtos a cargo exclusivamente de seus contadores, que muitas vezes são terceirizados.

Entretanto, em um cenário competitivo e de recessão econômica como o que enfrentamos, é preciso, mais do que nunca, compreender quanto do seu preço final é composto por impostos e tributos: só assim você poderá ajustar sua margem de lucro e ganhar competitividade sem perder seu amparo legal.

Além de permitir um melhor ajuste de suas margens de lucro, uma compreensão melhor da tributação vai evitar que sua empresa pague impostos a mais, ajudando no corte de custos desnecessários.

Mantenha seu cadastro de produtos atualizado

Quando falamos de varejo, é impossível ter uma gestão eficiente sem um cadastro de produtos atualizado e corretamente classificado. Aqui, um controle minucioso e detalhado da tributação incidente sobre cada item é fundamental.

Portanto, é sempre interessante realizar um investimento na formação de uma equipe interna dedicada a fazer esse controle ou na contratação de empresas terceirizadas especializadas que possam realizar essa classificação por você — deixando seu pessoal livre para focar nas atividades próprias do negócio.

É possível, inclusive, que a contratação de equipes terceirizadas represente uma economia de recursos significativas.

Principais tributos sobre produtos

Agora que você já compreende a necessidade de conhecer melhor a tributação incidente sobre os produtos que sua empresa oferece, vamos conhecer as principais formas de tributação sobre produtos da nossa legislação:

  • Imposto de Renda das Pessoas Jurídicas (IRPJ): incide sobre o lucro real, presumido ou arbitrado. É aplicado trimestralmente a 15% sobre a base de cálculo, podendo incidir outros 10%, dependendo da base de cálculo;
  • Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL): aplicada de forma similar ao IRPJ. A base de cálculo será de 12% para empresas tributadas com base no lucro presumido ou arbitrado. A alíquota da contribuição aplicada sobre a base de cálculo correspondente será de 9%;
  • PIS: contribuição mensal aplicada sobre o faturamento da empresa. Apresenta alíquota de 1,65% para empresas sujeitas à incidência não-cumulativa e 0,65% para as sujeitas à incidência cumulativa;
  • COFINS: também incide mensalmente sobre o faturamento da empresa, a uma alíquota de 7,6% para empresas sujeitas à incidência não-cumulativa e de 3% para empresas sujeitas à incidência cumulativa;
  • ICMS e IPI: são tributos não cumulativos. As alíquotas do ICMS, que é um imposto estadual, variam menos que as do IPI, que é um imposto seletivo.

Agora que você conhece melhor o papel da tributação de produtos em sua margem de lucro e compreende sua importância, continue aprendendo com nosso material sobre notas e cupons fiscais e ter mais ferramentas para gerir cada vez melhor seu negócio!

Comentários

comentários

Os indicadores financeiros importantes para acompanharElisão Fiscal como pagar menos impostos sem sonegar