9 dicas para reduzir os custos sem perder a qualidade no seu restaurante

Reduzir os custos e melhorar a qualidade dos serviços em restaurantes é um desafio para empresários do setor. Diante da recessão na economia, é mais que necessário investir em alternativas que, ao mesmo tempo, atraiam novos clientes e fidelizem os frequentadores de sempre.

Na verdade, tudo que se faça tendo como objetivo o aumento nas receitas passa por um planejamento e acompanhamento minucioso das atividades. Essa orientação vale não só para momentos de economia estagnada, mas também para os períodos de alta nos negócios.

Quer saber como fazer? Continue a leitura e veja como tornar seu empreendimento mais eficiente, gastando o mínimo possível.

1. Avalie as contas

As despesas com concessionárias representam uma fatia expressiva do que é destinado a cobrir os custos operacionais em restaurantes. Embora sejam elencadas como despesas fixas, é possível, com ações simples, reduzir o percentual que elas abocanham do faturamento.

Algumas dessas medidas são:

  • fechar a torneira enquanto usar detergente na higienização de louças;
  • desligar aparelhos quando eles não estiverem sendo usados;
  • apagar a luz de ambientes desocupados;
  • trocar as lâmpadas por outras mais eficientes;
  • investir em endomarketing — cartazes, e-mails e mensagens via WhatsApp, alertando para as boas práticas nas dependências do restaurante.

Verifique também a possibilidade de instalar um sistema de energia fotovoltaica em seu estabelecimento. Os investimentos iniciais serão compensados no futuro, já que a energia é fornecida pela sempre abundante luz solar, que ilumina o Brasil de janeiro a janeiro.

Até mesmo em dias nublados e chuvosos, é possível aproveitar o Sol como matriz energética. A vantagem é que o excedente pode ser redirecionado para a rede de distribuição convencional, e a economia para seu restaurante pode chegar a 85%.

2. Renegocie com fornecedores

Verifique com seus fornecedores a possibilidade de renegociar preços. Acompanhe os reajustes e estude criteriosamente formas de fazer propostas vantajosas para ambas as partes. Embora a primeira medida seja reduzir a margem de lucro, é possível obter preços menores, por exemplo, comprando em quantidades maiores. Nesse caso, você deverá ter atenção ao prazo de validade dos alimentos e insumos.

Se for preciso, avalie se vale a pena continuar com seus atuais fornecedores. Uma cotação de preços no mercado pode revelar uma nova cadeia de distribuição até então desconhecida. Dependendo de onde seu restaurante esteja localizado, optar por fornecedores de outros estados pode ser uma alternativa.

Nesse caso, você poderá aproveitar para oferecer a seus clientes pratos com ingredientes pouco explorados em sua região. Além disso, há casos em que a cobrança de ICMS-ST — Substituição Tributária — pode ser vantajosa para quem fornece. Converse com seu contador a respeito disso!

3. Reduza o desperdício de alimentos

Gerenciar bem o estoque é essencial para reduzir os custos do seu restaurante. Analise a quantidade de alimentos comprados, a frequência com que são utilizados na cozinha, quanto é jogado fora e em quais situações. Assim, você se certifica sobre a real demanda de consumo dos insumos e produtos que está adquirindo.

Um sistema de gestão especialmente projetado para restaurantes pode ajudá-lo nessa missão, já que possibilita acompanhar o consumo dos alimentos e o volume de vendas.

Instrua a sua equipe sobre a gravidade do desperdício de alimentos. Afinal, além de ser uma prática dispendiosa, ela também prejudica a reputação do restaurante. A sustentabilidade é um conceito que veio para ficar no mundo dos negócios, e quem não se adaptar tende a ficar malvisto no mercado.

Banco de Alimentos, por exemplo, é uma ONG que auxilia instituições na redução do desperdício e no combate à fome, oferecendo uma série de workshops e palestras para quem quer aproveitar os alimentos de maneira integral. Apoiando instituições sem fins lucrativos, você também aproveita e desenvolve marketing institucional para seu empreendimento.

4. Faça manutenções preventivas

Freezers, geladeiras, fogões, processadores de alimentos e outros equipamentos de cozinha exigem cuidados em relação à segurança. Nesse aspecto, a primeira providência é verificar se todos os eletrodomésticos têm o selo de eficiência energética, concedido pelo Inmetro.

Além dos equipamentos, uma inspeção na própria rede elétrica do estabelecimento pode revelar possíveis fontes de desperdício. Um problema que pode elevar o consumo de energia elétrica é a fuga de corrente, que ocorre em função de problemas nas instalações ou fiação com isolamento deficiente.

Uma maneira bem simples de verificar se há fuga de corrente é desligar todos os aparelhos das tomadas e apagar as luzes. Com uma lanterna, verifique se o seu medidor de energia continua girando. Se sim, há algum tipo de fuga.

No entanto, você precisará identificar a origem da fuga de corrente. Desligue a chave geral e, em seguida, faça a mesma verificação no medidor. Se ele tiver parado de girar, o problema é da sua instalação. Acione o eletricista o mais rápido possível. Entretanto, se o medidor continua a funcionar, o defeito está no aparelho. Faça contato com a concessionária de energia e providencie sua troca.

Outro item importante e que deve ter a manutenção sempre em dia é o extintor de incêndio. Além da segurança que representa, não estar com suas inspeções em dia ou deixá-lo fora da validade pode gerar multas para seu restaurante.

5. Faça parcerias com outros estabelecimentos e sites

Realizar parceria com outros estabelecimentos do segmento alimentício pode garantir a compra de alimentos e insumos a preços mais baixos.

Você pode montar um grupo de compras com outros empresários da sua região ou de outras localidades. Comprando mantimentos em maiores volumes, abrem-se mais possibilidades de negociação, ou seja, aumenta o seu poder de barganha.

Além das parcerias, considere cadastrar seu restaurante em sites e aplicativos de descontos e compras coletivas. É provável que seu estabelecimento já esteja cadastrado em pelo menos um, mas existem outros que podem ser igualmente interessantes. Os principais são:

  • Cuponeria;
  • Mobo;
  • Grubster;
  • Pedida de Hoje.

6. Analise minuciosamente os contratos antes de assiná-los

É comum que muitos fornecedores ou empresas que prestam serviços incluam cláusulas nos contratos dando prioridade no momento da renovação ou até mesmo com renovação automática.

Tome cuidado ao assinar contratos assim. Pense que algo que é vantajoso hoje pode não ser a melhor opção em médio e longo prazo.

Por isso, sempre leia e releia atentamente todas as cláusulas de um contrato antes de assiná-lo. E, no caso de não concordar com alguma delas ou achar que não é vantajosa para você, não hesite e solicite alterações imediatamente.

Priorize seu planejamento estratégico e avalie se aquele contrato de exclusividade não seria prejudicial ao seu crescimento no futuro.

7. Controle suas finanças com apoio do contador

Foi-se o tempo em que o contador se limitava apenas a apurar impostos a pagar e fazer balanços patrimoniais. Hoje, as empresas de sucesso sabem que esse é o profissional mais indicado para lidar com questões estratégicas. Se você planeja expandir, deverá primeiro recorrer ao contador para avaliar sua capacidade financeira.

O mesmo vale para momentos em que a corda começa a apertar. A contabilidade é o setor que deve ser consultado, para estudar medidas de contenção de gastos, aprimorar o controle de fluxo de caixa ou recorrer a empréstimos junto a instituições financeiras.

Contudo, tão importante quanto ter no contador um apoio consultivo, é manter o controle permanente do que entra e sai de recursos financeiros em sua empresa. Dessa forma, você estará adotando uma postura preditiva, evitando a asfixia financeira, enquanto aprimora os mecanismos de gestão.

8. Adote o uso de softwares de gestão e automação

O uso de softwares de gestão e automação pode auxiliar a reduzir os custos, pois eles apontam em tempo real quais itens estão com giro baixo. Manter esses produtos em estoque aumenta o custo, em função do espaço ocupado e da iminência de perda por causa do esgotamento do prazo de validade.

Uma solução em ERP com frente de caixa PDV integrada garante controle sobre estoque, pagamentos e toda a retaguarda. O melhor de tudo é que esses softwares podem ser projetados de acordo com a realidade do seu negócio.

A adoção de sistemas de pedido com smartphones pelos garçons também é uma forma de garantir mais agilidade e redução de erros na produção causados por pedidos equivocados, assim como os cardápios digitais interativos, em que o próprio cliente realiza seu pedido, reduzem o ruído na comunicação. Essa eficiência é garantida pelo número menor de colaboradores envolvidos no processo.

 

 

9. Invista em marketing digital

Ações de marketing digital são o meio mais rápido e econômico de fidelizar e atrair novos clientes para o seu estabelecimento. Você pode utilizar as redes sociais junto a estratégias de marketing de conteúdo. Afinal, não se pode ignorar que:

Outro dado que não se pode desprezar é que a internet é, hoje, a mídia de referência. Não por acaso, o Google é a marca mais influente entre os brasileiros, e isso se deve à eficiência dos seus motores de busca.

As pessoas buscam no site por todo tipo de informação, o que inclui o restaurante em que elas podem fazer suas refeições ou passar bons momentos entre amigos e familiares. Esteja presente na internet, ofereça um serviço diferenciado e veja que é possível reduzir os custos e aumentar sua lucratividade.

E já que o assunto de hoje é a redução de custos, que tal aprofundar-se ainda mais no assunto, acessando um artigo exclusivo sobre custos fixos e variáveis de um restaurante? Até lá!

Comentários

comentários

ifood para restaurantesbig data