Saiba o que é CMV, qual a sua importância e como calculá-lo

A utilização de métricas é um dos pontos fundamentais ao gerenciar uma empresa. Saber o que é CMV, CAC, ROI e outros tipos de cálculos é imprescindível para garantir a lucratividade.

Para varejistas e donos de restaurantes, interessa particularmente o cálculo do CMV (Custo de Mercadoria Vendida), uma importante métrica, já que, pelos dados que fornece, é possível aferir o quanto custa manter determinada mercadoria em estoque até o momento em que ela é vendida.

Este cálculo é relativamente simples e é sobre ele que falaremos hoje. Boa leitura!

O que é CMV e o que ele representa para as finanças?

Existem diversas maneiras de se controlar os custos embutidos nas operações de quem vende produtos. Os números sobre um determinado tipo de operação podem nos dizer algo totalmente diferente, se calculado de outra forma.

Por exemplo, ao calcular o preço de venda, elementos como os custos de aquisição entram na conta, assim como as despesas decorrentes da infraestrutura necessária para comercializá-lo.

No caso do CMV, o cálculo é feito do ponto de vista da manutenção de um estoque. Isso significa que gastos percebidos em virtude da produção, transporte e armazenamento devem ser confrontados com as receitas que as mercadorias geram.

Note que há uma diferença em relação à outra métrica, o giro de estoque. Calcular o Custo de Mercadoria Vendida é importante para avaliar o processo de vendas de ponta a ponta. O valor aferido serve como referência para saber quanto uma mercadoria custa no geral, do momento em que ela chega ao estoque até a hora em que é vendida.

O cálculo do CMV é muito importante, porque ele permite que a empresa tenha mais subsídios na hora de comprar insumos ou produtos para revenda. Essas informações podem ser úteis, inclusive, para negociar prazos de pagamento com fornecedores ou mesmo barganhar por preços menores.

Como fazer o cálculo do Custo de Mercadoria Vendida?

A primeira grandeza a ser considerada ao calcular o CMV é o tempo. Cada empresa conhece suas rotinas, a ponto de saber a frequência de giro do estoque, quais produtos têm mais saída e os que demoram mais a serem vendidos.

Empresas que trabalham com alimentos, como restaurantes, terão giro de estoque mais rápido, enquanto as que vendem eletroeletrônicos demoram mais a esvaziar seus armazéns. Portanto, definido o período, é hora de fazer o cálculo, em que serão contabilizados:

EI = Estoque Inicial

C = Compras de produtos até o Estoque Final

EF = Estoque Final, o que fica armazenado ao fim do período

Vamos supor que o estoque de um tipo de mercadoria inicial esteja avaliado em R$ 40 mil e que, no período de um mês, foram feitas duas compras, uma de R$ 10 mil e outra de R$ 5 mil. Passados trinta dias, o Estoque Final foi avaliado em R$ 18 mil.

CMV = EI + C – EI

CMV = 40 + (10 + 5) – 18

CMV = 40 + 15 – 18

CMV = 37

Manter essa mercadoria em estoque ao longo de um mês gera custo de R$ 37 mil para a empresa. Com esse valor, é possível também calcular o chamado lucro bruto. Basta subtrair do CMV o faturamento bruto e o valor apurado será o total bruto lucrado com as vendas.

No entanto, saber o que é CMV não basta. Existem diversas métricas e cálculos paralelos que precisam ser considerados. Para que os resultados dessas operações matemáticas sejam úteis, é fundamental ter meios de controle de dados, garantindo precisão e sua correta aplicação.

Para se manter atualizado sobre o vasto universo que envolve a automação comercial, assine nossa newsletter e entre para o time dos empreendedores bem informados!

Comentários

comentários

como premiar funcionários