Coronavírus: como controlar o caixa em época de crise financeira?

Os pequenos negócios são responsáveis por mais da metade do emprego formal no Brasil e também por quase um terço de toda a nossa riqueza. Mas, como eles estão sobrevivendo ao novo coronavírus (Covid-19)? Essas empresas precisam dos consumidores para continuarem existindo. Então, muitos empresários devem estar se perguntando: como controlar o caixa em época de crise financeira?

O fluxo de caixa é extremamente importante para controlar as finanças da sua empresa, pois permite o acompanhamento das entradas e saídas de dinheiro. Assim, fica mais fácil organizar os gastos e fazer uma gestão eficiente do negócio.

Para muitos, a reserva de dinheiro não faz parte do planejamento de gestão e 65% dos brasileiros não possuem dinheiro guardado para emergências. Além disso, mais do nunca, a realidade pede para segurar o caixa de todas as formas possíveis. 

Quer saber como controlar o caixa em época de crise financeira?

Continue a leitura! Também aprenda como fazer uma reserva financeira!

1 – Registre todas as movimentações para controlar o caixa

Registre todas as movimentações

Registre todos os valores gastos e recebidos, assim, você pode organizar as contas e evitar o desperdício de dinheiro. Ainda é importante separar em categorias diferentes, para que seja mais fácil identificar de onde vêm os principais tipos de gastos e receitas.

2 – Verifique o fluxo de caixa diariamente

Verifique o fluxo de caixa diariamente

O acompanhamento diário da movimentação do fluxo de caixa ajuda a evitar surpresas. Esse processo permite que você planeje e preveja situações complicadas para tomar atitudes rápidas.

3 – Gerencie o estoque para controlar o caixa

Gerencie o estoque

Normalmente, o estoque é um capital que não rende juros e nem gera renda, ou seja, é capital imobilizado. Porém, o dinheiro investido nele poderia ser aproveitado em outras oportunidades para a empresa. Perguntas como “qual é o valor do seu estoque hoje?” e “qual é o limite máximo e mínimo do seu estoque?” ajudam a entender o nível de controle que tem sobre ele, assim, tomando as melhores decisões para não ter prejuízo.

4 – Pense em longo prazo

Pense em longo prazo

Com o fluxo de caixa, é possível fazer uma projeção média para todo o ano. Assim, você pode avaliar diferentes cenários e se preparar para diferentes adversidades. Estipule seus gastos e ganhos também no fluxo mensal e compare no fim do mês.

5 – Comece uma reserva financeira

Comece uma reserva financeira

A reserva financeira é um dinheiro aplicado em investimentos de curto prazo, que possibilitam o resgate imediato em casos de emergências. Ela funciona quase como um tranquilizante para o seu patrimônio e garantirá segurança para encarar os piores momentos da sua vida financeira.

Primeiramente, antes de começar a reserva financeira, você precisa se livrar das dívidas ruins. Depois, estipule o tamanho ideal do seu fundo, que varia de 3 a 12 meses. Se o seu fluxo de caixa tem pouca previsibilidade, opte por algo próximo a 12 meses.

Agora é a hora de, de fato, juntar esse dinheiro. Recomenda-se o investimento mínimo de 5% da sua receita mensal. Continue se esforçando e poupando o máximo para atingir o valor estipulado.

Além disso, é preciso investir corretamente a reserva financeira. Como você não sabe quando precisará acessar o dinheiro, é imprescindível que ela esteja investida em veículos com liquidez diária, isto é: em algum lugar em que você possa resgatar com facilidade. 

Também é imprescindível que ela esteja investida em ativos de renda fixa pós-fixados, porque você não corre o risco de desvalorização de um dia para o outro, diferentemente do que ocorre em ativos prefixados. Esse tipo de investimento rende um pouco a cada dia.

Os principais ativos que podem se enquadrar nesses critérios são: 

  • CDB (Certificado de Depósito Bancário): você empresta dinheiro para o banco e ele te remunera com juros;
  • LC (Letra de Câmbio): é como o CDB, porém emitido por financeiras ao invés de bancos;
  • Tesouro Selic (LFT): a rentabilidade segue a variação da taxa Selic;
  • LCI e LCA (Letras de Crédito Imobiliário e Letras de Crédito do Agronegócio): são emitidos por bancos e têm o mesmo nível de segurança da poupança;
  • Fundos DI e de Renda Fixa com carteira majoritariamente pós-fixada.

Conte com um sistema de gestão

Contar com um software de gestão é uma maneira de deixar o trabalho mais prático, seguro e preciso. A KCMS oferece soluções eficientes para ajudar durante a análise da situação da empresa de varejo e foodservice. 

À medida que o sistema é usado, as informações são mantidas em segurança e podem ser acessadas por quem tiver autorização. Mais do que otimizar o funcionamento da sua empresa, um software de gestão ajuda você a fugir do prejuízo.

Quer saber como a KCMS pode ajudar no seu negócio? Fale com um especialista!

Benefícios de um software